Seminário do Ministério dos Transportes debaterá transição ecológica na infraestrutura de transportes brasileira — Ministério dos Transportes

O Gestor de frotas

Infográfico com informações sobre o Via Viva 2023

Os impactos das mudanças climáticas e as perspectivas globais para o desenvolvimento considerando a proteção do meio ambiente e a justiça social serão abordados na 7ª edição do Seminário Socioambiental em Infraestrutura de Transportes – Via Viva, que ocorre em 7 e 8 de novembro. Promovido pelo Ministério dos Transportes, o fórum terá como tema “Transição Ecológica na Infraestrutura de Transportes”, como forma de tratar a sustentabilidade como tema transversal nas políticas públicas voltadas para o setor.

Infográfico com informações sobre o Via Viva 2023
Divulgação/MT

Por dois dias, acadêmicos, cientistas, representantes de concessionárias, gestores públicos, e a comunidade em geral estarão reunidos na sede da pasta, em Brasília (DF), para a troca de informações e de experiências bem-sucedidas que permitirão avanços no segmento. As concessionárias de transportes rodoviários e ferroviário, além dos operadores aeroportuários com melhor desempenho socioambiental, serão agraciadas com o Prêmio Via Viva. Ainda há um compilado dos melhores trabalhos técnico-científicos referentes a rodovias e ferrovias que será divulgado com o lançamento do livro digital Via Viva 2023.

Fique por dentro

Inscreva seu e-mail e iremos te notificar das novidades!

Além de presencial na sede do Ministério dos Transportes, sem necessidade de credenciamento prévio, interessados também poderão acompanhar o evento pelo canal do Ministério dos Transportes no YouTube. “Vamos privilegiar os trabalhos que certamente farão a diferença no setor, que nos ajudarão a desenvolver modelagens e soluções cada vez mais inteligentes, eficientes e, principalmente, sustentáveis para os projetos de infraestrutura de transportes de rodovias e ferrovias pelo país”, afirmou o ministro dos Transportes, Renan Filho.


Alinhamento

A temática do Via Viva 2023 está alinhada ao lançamento do Novo PAC do Governo Federal, que vincula todos os projetos ao Plano de Transição Ecológica e ao combate à crise climática com justiça social e geração de empregos. Também devem participar da abertura do evento representantes dos ministérios de Portos e Aeroportos; da Fazenda; e do Meio Ambiente e Mudança do Clima; do Tribunal de Contas da União (TCU); e da Embaixada da Alemanha no Brasil.

“Esse grande debate é uma forma de estarmos alinhados à comunidade acadêmica, científica e institucional, para buscarmos as alternativas para as nossas políticas, sempre alinhando o desenvolvimento e o progresso ao respeito à biodiversidade e aos povos tradicionais”, disse o subsecretário de Sustentabilidade do Ministério dos Transportes, Cloves Benevides.

Programação

Na terça-feira (7), após a solenidade de abertura, haverá uma mesa redonda sobre políticas públicas e transição ecológica na infraestrutura de transportes. No período da tarde, outras duas rodas de debate serão formadas, uma sobre os desafios e oportunidades na transição energética para fontes de baixo carbono nos transportes; e outra que falará sobre o papel das parcerias público-privadas na proteção da biodiversidade ao longo de empreendimentos de transportes.

Dando continuidade, na quarta-feira (8) o dia começa com debate sobre o desenvolvimento de infraestrutura de transportes resiliente ao clima, seguido pela mesa redonda que trata de experiências bem-sucedidas e benefícios tangíveis em certificações e padrões de sustentabilidade em obras de infraestrutura. De tarde, os caminhos para a justiça climática e social serão abordados na última mesa redonda da programação.

Encerrando a agenda, a partir das 16h30, será lançado o livro Via Viva 2023, que reúne as melhores iniciativas que tratem sobre infraestrutura de transportes terrestres resiliente; transição energética para fontes de baixo carbono; justiça climática e social; infraestrutura e biodiversidade; sustentabilidade e ESG (sigla em inglês para ambiental, social e governança).

Assessoria Especial de Comunicação
Ministério dos Transportes

 

Link da matéria

Deixe um comentário