DNIT assina Ordem de Serviço para início das obras de acesso à ponte bioceânica, na BR-267/MS, em Porto Murtinho

O Gestor de frotas

53408573074_445757ef6f_o.jpg

Nesta terça-feira (19), o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) assinou em Campo Grande, no estado do Mato Grosso do Sul (MS), a ordem de serviço que permite o início das obras de acesso à ponte bioceânica, na BR-267/MS, que ligará Brasil e Paraguai, por Porto Murtinho (MS) e Carmelo Peralta (PY).

Os serviços incluem Elaboração dos Projetos Básicos e Executivos de Engenharia, Execução das Obras de Implantação e Pavimentação do Acesso à Ponte Internacional sobre o Rio Paraguai, contorno rodoviário de Porto Murtinho na BR-267/MS, e a Construção do Centro Aduaneiro de Controle de Fronteira.

Fique por dentro

Inscreva seu e-mail e iremos te notificar das novidades!

Participaram da solenidade de assinatura o ministros dos Transporte interino, George Santoro; a ministra do Planejamento e Orçamento, Simone Tebet; o governador do Mato Grosso do Sul, Eduardo Riedel; o prefeito de Porto Murtinho, Nelson Cintra; o diretor-geral do DNIT, Fabricio Galvão; o superintendente do DNIT no estado, Euro Varanis; bancada federal do estado, entre outros convidados.


Previsto no Novo PAC, o empreendimento na BR-267/MS tem 13,1 quilômetros de extensão (km 678,10 ao km 691,20). Estão previstos R$ 472 milhões em investimentos federais no projeto. A ponte é parte de corredor que passa por Brasil, Paraguai, Argentina e Chile, tornando-se fundamental para aumentar a integração entre os países da América Latina.

Na ocasião, também foi assinada a ordem de serviço que permite a execução das Obras de Restauração do Pavimento com Adequação de Capacidade do lote 04 da Rodovia BR-267/MS, de Porto Murtinho até Alto Caracol, km 577,00 ao 678,10, com extensão de 101,10 km. O valor total da contratação é de aproximadamente R$ 240 milhões. O prazo de execução da obra é de 24 meses.

Rota Bioceânica – A expectativa é que o novo corredor logístico conecte o Centro-Oeste brasileiro ao Paraguai e à Argentina, até chegar aos portos de Iquique e Antofagasta, no Chile. O empreendimento é importante para aumentar a integração entre os países, facilitando o transporte de cargas e passageiros, bem como estreitando as relações comerciais entre os países.

Link da matéria

Deixe um comentário